[Valid RSS] [Valid RSS] [Valid RSS] Labirintos e Fascínios: Um segredo de sobrevivência

20 de setembro de 2013

Um segredo de sobrevivência

Certa vez li no blog “Comentando o Comentado” um enunciado que me chamou a atenção justamente porque eu estava atravessando um momento delicado e difícil que me deixava com um humor alteradíssimo.  Aquela advertência acerca da melhor forma de sobreviver à tempestade funcionou maravilhosamente bem. Conservei o humor e, sem esbravejar, sobrevivi. Hoje, veio-me a idéia de divulgar e comentar o milagroso enunciado. Ei-lo:

A vida é complicada e cheia de contratempos. Conservar o humor é um segredo de sobrevivência.” 

Conservar o humor não apenas é fundamental para a nossa sobrevivência como faz bem à nossa saúde e às pessoas que convivem conosco. Todavia, eu acrescentaria um outro elemento tão essencial quanto o humor para a sobrevivência e manutenção do nosso equilíbrio emocional e da nossa harmonia interior: saber silenciar nos momentos certos.
Sim, porque o silêncio é uma força imensurável, é uma arma poderosa capaz de levar ao desespero os que, por carência deste fundamental humor, do qual fala o enunciado, fazem da agressividade a válvula de escape e a única linguagem para expressarem as suas frustrações mais dolorosas e mais profundas, quiçá inconscientes e, em alguns casos, com raízes bem fincadas no terreno movediço da inveja, do despeito e de outros sentimentos torturantes para quem os sente.
Se os encaramos munidas com o bom humor e com a prodigiosa arte de silenciar, iremos recolhendo o que nos dizem e fazem de positivo os bem humorados e de bem com a vida, limitando-nos a sorrir, complacentemente, para o que os mal humorados, insatisfeitos com a pobreza das próprias conquistas nos dizem e fazem de negativo e de execrável.
Há muito aprendi que, se permanecermos em silêncio, frente ao mal que intentam contra nós, mostramos que estamos indiferentes, sem tempo para debates fúteis.
Se for uma discussão que deixou o terreno da razão, quem silencia mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar, em espernear.

Se isto acontecer, mesmo que o outro do grito passe ao berro, não se altere, não perca seu bom humor, apenas OLHE,
                   SORRIA, 
                            SILENCIE E
                                          VÁ EM FRENTE.